Acordes de violão
Shares

Acordes de violão – Aula definitiva: Tudo o que você deve saber sobre acordes

Shares

Imagine você aprendendo tudo sobre os acordes de violão, entendendo como encontrar os acordes de uma música, sem precisar ler as cifras… Pois aqui está a sua aula.

Acordes são grupos de três ou mais notas. Dizemos “Acordes de violão”, referindo-nos à posição destas notas no braço do violão. Aprenda em detalhes agora.

De onde vêm os acordes e como são representados no violão

Como você já viu, acordes são formados por três notas musicais, que vêm das escalas musicais. Explicando rapidamente:

  • Temos 7 notas musicais, mais 5 semitons: C, C#, D, D#, E, F, F#, G, G#, A, A#, B
  • Cada uma destas notas gera uma escala maior e uma menor, com 7 notas cada uma
    • Exemplo: Escala de C (dó maior) = C, D, E, F, G, A, B
    • Exemplo 2: Escala de Cm (dó menor) = C, D, D#, F, G, G#, A#
  • Destas escalas vêm os acordes naturais (sem alterações), formados pelos graus 1, 3 e 5 das escalas
  • Veja nas escalas acima, as notas em negrito.
    • Escala maior: C, E, G – Estas são as notas que formam o acorde C (dó maior)
    • Escala menor: C, D#, G – Estas são as notas que formam o acorde Cm (dó menor)

Portanto, para definir os demais acordes naturais, maiores e menores, basta seguir o mesmo procedimento, em cada uma das escalas.

Diagramas dos acordes C e Cm, representados no braço do violão

Acorde C

Acorde C - imagens de notas de violão

Veja na parte de baixo do diagrama, as notas: C, E, G

Acorde Cm

Acorde CmVeja na parte de baixo do diagrama, as notas: C, Eb(D#), G

Obs: A nota Eb (mi bemol) é igual à nota D# (ré sustenido)

Cifras usadas para notas e acordes

As notas musicais são Dó, ré, mi, fá, sol, lá, si. Como temos semitons entre notas, usamos #(sustenido, meio tom acima) e b (bemol, meio tom abaixo). Na prática, para estudar sem partitura, podemos usar somente o # (sustenido), pois para cada nota aumentada de meio tom, temos uma nota diminuída de meio tom. Assim:

  • C# = Db
  • D# = Eb
  • F# = Gb
  • G# = Ab
  • A# = Bb

E fazemos o mesmo com acordes. Exemplo: Se você se deparar com um acorde Eb, saiba que é o mesmo acorde que D#.

Isto esclarecido, vamos ver o que acontece com as letras.

Imagine você como representaríamos um acorde, sem usar letras. Veja: “Dó# menor”. Um treco muito grande, difícil de ler. Então, lá atrás, alguma boa alma resolveu substituir as notas por letras. Assim:

  • Dó = C
  • Ré = D
  • Mi = E
  • Fá = F
  • Sol = G
  • Lá = A
  • Si = B

E também foram convencionadas letras e sinais para o que vem depois. Assim:

  • Menor = m  – Exemplo: Dó menor = Cm
  • Maior = Não se coloca nada – Exemplo: Dó maior = C

Portanto, os acordes naturais são:

  • Maiores – C, C#, D, D#, E,, F, F#, G, G#, A, A#, B
  • Menores – Cm, C#m, Dm, D#m, Em, Fm, F#m, Gm, G#m, Am, A#m, Bm

Este eBook me ensinou toda a base sobre acordes de violão…Um conteúdo incrível!

Saiba mais
Ebook Diagramas de acordes para violão e guitarra

Os acordes no braço do violão

Um belo dia ensolarado (isso eu inventei agora) há anos e anos atrás, alguém inventou o violão. Depois outros foram aperfeiçoando, fazendo modificações. Até chegar no violão que hoje conhecemos.

Uma das características que tornou-se definitiva, foi a quantidade de cordas e as notas que estas cordas soam. Temos então, para o violão normal, 6 cordas. Que soam, soltas, as notas:

  • Corda 6 (em cima, a mais grossa) = E
  • Corda 5 = A
  • Corda 4 = D
  • Corda 3 = G
  • Corda 2 = B
  • Corda 1 = E

E por que estas notas e não outras? Sem alongar a explicação, as pessoas que trabalharam no aperfeiçoamento do violão, foram testando as notas no braço do violão para chegar ao que consideraram melhor em termos de tocabilidade, de escalas, melodias e acordes.

E devido às notas das cordas soltas é que se deve o formato dos acordes no braço do violão. Porque para se obter cada acorde é preciso apertar determinadas cordas em determinadas casas. Veja o diagrama abaixo:

braço do violão

Veja as notas marcadas com um círculo vermelho: C, E e G. Formam o acorde C, que você já viu acima.

Agora observe novamente a imagem. Procure, no mesmo pedaço de braço, estas mesmas notas. Você vai achar. Isto significa que é possível fazer os acordes em diferentes partes do braço do instrumento.

Como ficaria difícil visualizar os acordes num diagrama como o mostrado acima, usamos então aqueles pequenos diagramas verticais, mostrando apenas a parte do braço onde o acorde é feito. Nos exemplos anteriores, você viu acordes feitos Nas primeiras 5 casas. Vamos rever os mesmos diagramas, para compreender melhor.

Diagramas de acordes no braço do violão

Acorde C

Acorde C - imagens de notas de violão

  • Na parte superior, a letra C indica o nome do acorde
  • Logo após o nome, o “x” indica que esta corda não faz parte do acorde e não deve ser tocada
  • Ao lado do “x” os dois pequenos círculos indicam que aquelas duas cordas são tocadas soltas
  • Dentro do diagrama, as bolinhas pretas e o círculo com uma bolinha preta no meio indicam quais cordas devem ser apertadas e em quais casas.
  • O círculo com a bolinha preta no meio indica que aquela é a nota fundamental do acorde (C)
  • Na parte de baixo, os números indicam quais dedos devem ser usados para apertar as cordas
  • Abaixo dos números, as letras indicam quais notas cada corda vai sor no acorde

Acorde Cm

Acorde CmAs mesmas regras do acorde à esquerda servem para este.

Aqui há uma indicação a mais: O número do lado esquerdo, serve para marcar em qual casa começa o acorde, para que não seja necessário mostrar mais casas do braço do violão, padronizando os diagramas

Como são usados os acordes nas músicas

Numa música, tudo que se refere a notas e acordes vem das escalas. Se uma música é executada na tonalidade C (dó maior), as notas e acordes da música sairão da escala de C (Existem exceções, que não me cabe explicar agora).

Veja como ficou mais fácil… agora temos – basicamente – apenas 7 notas e 7 acordes para usar numa determinada música.

Então, uma música na tonalidade C utiliza a escala de C. As notas, portanto são: C, D, E. F, G, A, B. E os acordes? É aí que entra o chamado

Campo harmônico

Cada escala gera 7 acordes. Tanto a maior, como a menor. A este grupo de acordes se dá o nome de campo harmônico. A regra para gerar estes acordes é:

Campo harmônico maior

  • Grau 1 da escala – Acorde maior – Ex: C
  • Grau 2 da escala – Acorde menor – Ex: Dm
  • Grau 3 da escala – Acorde menor – Ex: Em
  • Grau 4 da escala – Acorde maior – Ex: F
  • Grau 5 da escala – Acorde maior – Ex: G
  • Grau 6 da escala – Acorde menor – Ex: Am
  • Grau 7 da escala – Acorde diminuto – Ex: Bdim

Campo harmônico menor

  • Grau 1 da escala – Acorde menor – Ex: Cm
  • Grau 2 da escala – Acorde diminuto – Ex: Ddim
  • Grau 3 da escala – Acorde maior – Ex: D#
  • Grau 4 da escala – Acorde menor – Ex: Fm
  • Grau 5 da escala – Acorde menor – Ex: Gm
  • Grau 6 da escala – Acorde maior – Ex: G#
  • Grau 7 da escala – Acorde maior – Ex: A#

Portanto, numa música na tonalidade C, com algumas exceções, utilizamos os 7 acordes:

C, Dm, Em, F, G, Am, Bdim

Em que ordem os acordes aparecem na música?

Esta é uma pergunta muito comum. Cuja resposta geralmente gera frustração. Pois não existe ordem específica para se tocar os acordes nas músicas. Seria ótimo se fosse assim. Tocar violão seria um bocado mais fácil.

Porém… o que existe e que ajuda muito, são sequências de acordes mais utilizadas. Em músicas mais populares, mais simples, geralmente as melodias têm certas nuances em comum. E como o que determina os acordes é a melodia, temos então:

 

Sequências de acordes mais utilizadas – pratique no violão

 

Entre tapas e beijos

Sequência de acordes

  • C, G, C, G, F, C

C                  G
  Perguntaram pra mim
                 C
  Se ainda gosto dela
                  G
  Respondi, tenho ódio
 F                    C
  E morro de amor por ela

                  G
  Hoje estamos juntinhos
                C
  Amanhã nem te vejo
                 G
  Separando e voltando
                   F                   
  A gente segue andando

Sonho por sonho

Sequência de acordes

  • C, G, F, C, G
 C                                   G
Nunca imaginei que você quisesse de mim
                 F                  C        G
uma noite só de prazer, uma transa apenas
C                                      G
Tudo que você me falou  entrou no meu coração,
                    F                  C        G
loucura cheia de sedução, mudou a minha vida
   C                                           G
Não dá pra esquecer a emoção que eu senti por você
                       F       C   G
por tudo que não pode ser, eu te quero
C                                   G
Eu não tenho tempo a perder com a solidão

Nos dois exemplos acima você pode ver que temos os mesmos acordes. Veja como as sequências variam. As duas sequências acima podem ser encontradas em outras músicas, na mesma ordem ou com pequenas variações.

Os três acordes utilizados nestas músicas são praticamente uma “regra”. São os acordes 1, 4 e 5 do campo harmônico maior. Veja abaixo:

Campo harmônico de C:

  • 1) C
  • 2) Dm
  • 3) Em
  • 4) F
  • 5) G
  • 6) Am
  • 7)Bdim

Repare como os acordes C, F e G estão nas posições 1, 4 e 5

Grave em sua memória (sem decorar): As posições 1, 4 e 5 de  um campo harmônico são fundamentais para tocar inúmeras músicas.

Isso não quer dizer que todas as músicas terão estes acordes. Mas a probabilidade é muito grande.

Quando buscar músicas para treinar ao violão, repare sempre nas sequência de acordes. Assim, além de aprender uma nova música, você estará estudando e aprendendo mais.

Observação: Estou me baseando sempre no campo harmônico de C, para que você não se perca. Entretanto, tudo o que está sendo explicado vale para os demais campos harmônicos maiores. Mais adiante veremos a mesma coisa no campo harmônico menor.

Outras sequências de acordes mais utilizadas

Campo harmônico de C:

  • 1) C
  • 2) Dm
  • 3) Em
  • 4) F
  • 5) G
  • 6) Am
  • 7)Bdim

Baseie-se pela ordem numérica dos acordes

  • 1, 6, 4, 5 (Ex: C, Am, F, G)
  • 1, 6, 2, 5 (Ex: C, Am, Dm, G)
  • 4, 1, 2, 5, 1 (Ex: F, C, Dm, G)
  • 1, 4, 2, 5 (Ex: C, F, Dm, G)

Atenção: Isso não significa nenhum tipo de padrão. Há muitas variações de sequências de acordes. Mas acostumando-se com as sequências mais usadas, você já está no caminho certo para tocar músicas simples sem precisar consultar cifras para violão.

 

Sequências de acordes mais utilizadas – Campo harmônico menor

 

Campo harmônico de Cm

  • 1) Cm
  • 2) Ddim 
  • 3) D#
  • 4) Fm
  • 5) Gm
  • 6) G#
  • 7) A#

Sequências de acordes mais usadas

1, 6, 7 (Ex: Cm, G#, A#)

1, 6, 7, 3 (Ex: Cm, G#, A#, D#)

7, 3, 1 (Ex: A#, D#, Cm)

1, 4, 7, 3 (Ex: Cm, Fm, A#, D#)

4, 1, 6 , 5+[Acorde 5, porém maior] (Ex: Fm, Cm, G#, G)

Nota: No campo harmônico menor o grau 5 é menor. Entretanto, muitas vezes é usado maior, como preparação para o grau 1. No caso acima, o acorde G7 não faz parte do campo harmônico mas pode ser usado.

As sequências sugeridas acima são largamente utilizadas, mas repito: não há regra. Dependendo da música você vai encontrar os mesmos acordes em ordem diferente. Porém estas são mais comuns de serem encontradas.

Nas sequências acima, alguns acordes podem estar sendo omitidos, como por exemplo o acorde diminuto, que raramente é usado em músicas mais simples.

Sugestão para treino com seu violão

Como temos 12 notas, temos então 12 campos harmônicos maiores e 12 menores. Cada campo harmônico tem 7 acordes. Se utilizarmos apenas as sequências mais comuns, são quase 200 acordes! E pior… em sequências diversas. Decorar tudo isso é impossível.

Para um iniciante ou intermediário, é melhor treinar as tonalidades mais utilizadas. É… existe isso também. Você pode reparar que muitas músicas utilizam as tonalidades:

C, D, G e A

Com estas 4 tonalidades maiores você consegue tocar muitas músicas. Portanto, não tente treinar todas as 24 tonalidades, procurando decorar os acordes. Você vai morrer doido!

Você reparou que eu mencionei só tonalidades maiores? E as tonalidades menores? Aí é que entram as

 

Tonalidades e acordes relativos

Talvez você já tenha escutado falar de “Acordes relativos“. Estes são acordes cujas escalas têm as mesmas notas. Calma aí… é fácil… eu já explico.

Continuemos com a escala de C.  Qual então é a escala que tem as mesmas notas da escala de C?

É a escala de Am (lá menor). Portanto, a escala de Am é relativa da escala de C e vice-versa.

Agora pense um pouco aí… se as escalas têm as mesmas notas, e o campo harmônico, como é? Pensou? Pois é isso mesmo… o campo harmônico tem os mesmos acordes. Veja só:

Campo harmônico de C:

  • 1) C
  • 2) Dm
  • 3) Em
  • 4) F
  • 5) G
  • 6) Am
  • 7)Bdim

Campo harmônico de Am

  • 1) Am
  • 2) Bdi
  • 3) C
  • 4) Dm
  • 5) Em
  • 6) F
  • 7) G

:

Evidentemente as notas e acordes não se encontram na mesma ordem. O acorde fundamental no campo harmônico de C é C. E no de Am… é Am, claro. Mas repare como os acordes são os mesmos. Isso lhe diz alguma coisa?

Para mim diz muito e eu vou lhe ensinar…

Quando você aprende os acordes de um campo harmônico maior, automaticamente aprendeu os acordes de outro campo harmônico menor!

Voltando às tonalidades que eu sugeri para treino…  C, D, G e A, certo? São 4. Mais suas relativas menores, já são 8 tonalidades, 4 maiores e 4 menores. Isso dá pra tocar muita música… muita mesmo.

  • Tonalidade C – Relativa = Am
  • Tonalidade D – Relativa = Bm
  • Tonalidade G – Relativa = Em
  • Tonalidade A – Relativa = F#m

 

Como achar acordes relativos no violão

Em primeiro lugar, lembre-se: todo acorde maior tem seu relativo menor e vice-versa.

Um dos benefícios de se conhecer os acordes relativos é que em cada campo harmônico, exceto o acorde diminuto, cada um dos outros acordes tem seu relativo no próprio campo harmônico. Explico:

  • 1) C – Relativo de Am
  • 2) Dm – Relativo de F
  • 3) Em – Relativo de G
  • 4) F – Relativo de Dm
  • 5) G – Relativo de Em
  • 6) Am – Relativo de C
  • 7)Bdim – Acorde alterado, não tem relativo

Assim, se você lembrar-se de apenas 3 acordes de um campo harmônico, basta localizar seus relativos e terá os outros 3 acordes, faltando apenas o acorde diminuto.

E assim ocorre nos demais campos harmônicos. Mas existe uma forma de encontrar os acordes relativos, no próprio braço do violão, que é:

Todo acorde tem sua nota fundamental, a que dá nome ao acorde. Por exemplo, o acorde C… A nota fundamental é – claro – a nota C. No acorde Am, a nota fundamental é A. E assim por diante.

O acorde relativo de um acorde maior é sempre um acorde menor. O acorde relativo de um acorde menor é sempre um acorde maior.

Para achar o acorde relativo de um acorde maior, bastar seguir três casas para trás a partir da nota fundamental. Por exemplo, o acorde C. Três casas atrás temos a nota A. Portanto o acorde relativo de C é Am.

O contrário para os acordes menores. A partir da nota fundamental seguimos 3 casas para a frente.

Veja na figura abaixo:

Braço do violão - acordes relativos

A seta azul mostra como localizar o acorde relativo de um acorde maior. A seta vermelha mostra como achar o relativo de um acorde menor.

O que você aprendeu até aqui

  • Um acorde natural é formado por 3 notas

  • Todo acorde vem de uma escala, maior ou menor

  • Cifras (letras) substituem os nomes dos acordes

  • Na prática só usamos o # (sustenido)

  • As cordas são apertadas em determinados lugares no braço do violão para obter as notas de cada acorde

  • Como interpretar os diagramas de acordes

  • Como são utilizados os acordes numa música

  • Campo harmônico é o grupo de acordes de cada tonalidade

  • Sequências de acordes mais utilizadas

  • Quais tonalidades são mais utilizadas

  • Quais tonalidades e acordes treinar no violão

  • Tonalidades e acordes relativos

  • Como localizar acordes relativos no braço do violão 

 

Acordes de violão com 7 (sétima)

Até agora você viu o básico sobre acordes naturais. Você irá encontrar muitas músicas que têm acordes com sétima. Por exemplo: C7, G7, D7, etc. Vamos ver o que é isso.

Como você já sabe, as notas dos acordes provém das escalas. Este número (7) após o acorde, também vem das escalas.

Um acorde com o número 7 (somente o número e mais nada), é um acorde com sétima menor. Isso quer dizer que a sétima vem da escala menor.

Continuando a trabalhar com a escala de C, um acorde C7 então é um Acorde de dó maior com sétima menor. E esta sétima então será a sétima nota da escala de Cm (dó menor). Vejamos a escala:

Escala de Cm = C, D, D#, F, G, G#, A#

A sétima nota, então é A#. Portanto, um acorde C7 possui as 3 notas do acorde natural e mais a nota A#, formando assim o acorde C7 (Se diz dó com sétima, não é necessário mencionar “menor”).

Veja como fica o acorde no diagrama ao lado. Abaixo, o acorde C natural. A corda 3, no acorde natural está solta. No acorde com 7 ela é apertada na casa 3 (A#), formando assim o acorde C7.Acorde C - imagens de notas de violão

          Acorde C7 

Acorde de violão C7

 

Como são utilizados os acordes com 7 (sétima menor)

Não só no violão, como na música em geral, os acordes com sétima são – por assim dizer – muito populares. Por um bom motivo. Um acorde com sétima é geralmente utilizado para “anunciar” que outro acorde vem logo a seguir. Mas não qualquer acorde.

Normalmente, após o acorde com sétima, vem:

Na escala maior

  • Se o acorde com sétima for o acorde fundamental do campo harmônico, o próximo (geralmente) é o acorde 4
  • Se o acorde com sétima for o acorde 5, virá o acorde 1

Faça o teste você mesmo. Toque C, C7 e depois F.  Ou C, F, G7 e C. Você deverá perceber que a resolução destas duas sequências soa muito bem.

Normalmente estas são as duas situações mais comuns em que se encontra acordes com sétima. Evidentemente, nada impede que alguém utilize outros acordes com sétima, com outras finalidades numa música.

Na escala menor

Pode-se utilizar acordes com sétima também na escala menor. A situação mais comum é:

  • A utilização do acorde 5 do campo harmônico menor. Só que ao invés de ser um acorde menor, será maior e comm sétima. Ele servirá de preparação para o acorde 1. Uma sequência de exemplo: Am, F, G, C, E7. Veja este mesmo exemplo na música

Si no te hubieras ido, da banda Maná

    Am      F         G         C
     TE EXTRAÑO MAS QUE NUNCA Y N0 SE QUE HACER
E7 Am                 F         G   C
     DESPIERTO Y TE RECUERDO AL AMANECER
    G                               C
     ESPERA OTRO DIA POR VIVIR SIN TI
   E7               Am
     EL ESPEJO NO MIENTE
                   F
     ME VEO TAN DIFERENTE
    G                C   E7
     ME HACES FALTA TU

 

Acordes diminutos no violão

Para completar o campo harmônico, precisamos ainda dos acordes diminutos.

A partir de um acorde maior, para se formar o acorde diminuto, diminuímos os graus 3 e 5 de meio tom. No braço do violão, uma casa para trás. Veja o acorde diminuto e compare com o acorde maior ao lado.

Acorde Bdim

Acorde Bdim

Grau 3 = D

Grau 5 = F

Acorde B

Acorde B

Grau 3 = D#

Grau 5 = F#

Veja um trecho da música Pareço um menino, de Fábio Jr.

 

    D7                       G 
Você me abraça e a tristeza vai embora 
           D7                       G 
A dor que existe fica da porta pra fora 
         D7           Eb°          Em               
A gente briga, mas é coisa que acontece 
          C         G 
Logo o coração esquece 
 D7                 G 
Porque a gente se adora

No terceiro verso, entra um acorde Ebdim (que também pode ser representado com aquela “bolinha”). Neste caso, O acorde diminuto não pertence ao campo harmônico de G (Tonalidade da música).

Como eu disse já algumas vezes, existem sequências mais usadas, mas não há regra rígida. Na música acima, no trecho onde aparece o acorde diminuto, há uma ligeira mudança na melodia, a qual proporcionou a insersão deste acorde diminuto (Ebdim). Que poderia ser nomeado também como D#dim, que faria mais sentido, uma vez que justamente a nota da melodia que possibilitou o acorde é D#.

Conclusão

Na verdade não há conclusão. No assunto acordes de violão ainda há muito mais. Espero que você tenha gostado da página. Se tiver sugestões, comente. E compartilhe com os amigos!

 

Share Button

Leave a Comment:

Add Your Reply