Acordes de violão
Compartilhe!

Nome dos acordes de violão

Nome dos acordes de violão

Para nomear um acorde, usamos o nome da nota musical acompanhado de mais algum atributo, como menor, maior, etc. Vamos ver como usar estes diferenciadores para dar criar o nome dos acordes de violão.

Se eu disser A (lá), por exemplo, sem mais nada, estaria me referindo apenas à nota musical. Para nomear um acorde eu teria que especificar, adicionando, por exemplo, menor.

Aqui estou tratando apenas dos nomes dos acordes. Se quiser saber porque um acorde é maior, menor, com sétima, etc… Leia esta aula sobre acordes.

As letras que nomeiam notas e acordes ajudam muito, pois de outra maneira, teríamos coisas assim: “Sol maior com sétima”. Então no lugar disso tudo aí, temos: G7. Muito melhor, não?

Nomes dos acordes maiores

Para facilitar ainda mais, convencionou-se que um acorde maior é nomeado apenas pela letra. Então, contrariando o que acabei de dizer há pouco, temos acordes nomeados apenas com a letra, assim como as notas. Há tempos atrás ainda se usava um sinal de (+), mas é completamente desnecessário. Então, se você pega uma cifra com os acordes A, E, e D, já sabe que todos são maiores. Todos os outros acordes terão algum complemento.

As letras que dão nome aos acordes

  • A = Lá
  • B = Si
  • C = Dó
  • D = Ré
  • E = Mi
  • F = Fá
  • G = Sol

Acordes menores – A estes, acrescentamos a letra “m” minúscula. Portanto, Dm = Ré menor. É possível que você encontre algo assim: “D-“, porém é muito raro. Mas válido, de vez que identificou o acorde.

Portanto: A, B, C… etc., para os acordes maiores e Am, Bm, Cm… etc. Para os acordes menores.

Só aí já temos um nome para todos os acordes naturais sem acidentes (Bemol e sustenido). Quer saber mais sobre isso? Clique aqui.

Quando se acrescenta um sustenido (#) ou um bemol (b) a um acorde, a regra continua valendo. Ou seja, se não houver mais nada após a letra e o acidente, o acorde é maior. Por exemplo:

A# (Lá sustenido maior)

A#m (Lá sustenido menor)

Ab (Lá bemol maior)

Abm (Lá bemol menor)

Até aqui temos nome para os acordes de violão naturais, maiores e menores.

Nome dos acordes alterados

Seguindo mais adiante, teremos os acordes alterados. Com sétima, sexta e assim por diante.

Para não se confundir na ordem em que vêm as alterações, lembre-se que tudo o que vem primeiro, é nome do acorde. Aí se inclui: a letra maiúscula, o acidente e o “m” minúsculo. Vejamos alguns exemplos:

  • A7 – Aqui temos apenas a letra e um número. Significa, em primeiro lugar, que o acorde é maior. Como existe um 7 depois da letra, sabemos que este acorde foi alterado e possui uma sétima menor.
    • Cabe aqui uma observação: no caso dos números, um número 7 ou 5 sem mais nada significa “menor”, ou seja, a alteração vem da escala menor. Caso venha da escala maior, será utilizado um sinal de (+) ou a letra M maiúscula. Portanto, A7+ ou A7M será: Lá maior com sétima maior. Já para o número 9 (nona), o número sozinho significa nona maior. E pode aparecer algo assim: “maj9”, caso em que a nona maior será aumentada em meio tom. Então:
      • A7 = Lá maior com sétima menor
      • A7+ = Lá maior com sétima maior
      • A9 = Lá maior com nona
      • Amaj9 = Lá maior com nona aumentada
  • Am7 – Lá menor com sétima menor.
  • A#7 = Lá sustenido maior com sétima menor
  • A#m7 = Lá sustenido menor com sétima menor

Portanto, lembre-se: Num acorde A#m7, temos:

Nome do acorde | alteração

A#m                       7

Nome do acorde diminuto

Pra inteirar, ainda tem essa. Acorde diminuto. Que se representa com “dim” ou “º”. Então, Cdim ou Cº = Dó diminuto. E aqui vai mais uma: Num acorde Cdim7, a sétima seria a menor diminuta. Basta você lembrar que num acorde diminuto todas as notas baixam meio tom, exceto a nota fundamental.

Quando o nome do acorde tem mais alterações

Existem acordes com mais de uma alteração (é… vida dura). Estas alterações são representadas de maneiras diferentes. Em alguns casos usa-se uma barra (/). Em outros, parêntesis ( ). Por exemplo:

  • G/B – Neste caso, houve uma alteração do baixo. Ou seja, significa que iremos tocar o acorde G, porém com baixo em B.
  • A7(9) – Aí temos o caso típico de duas alterações. O acorde tem a sétima menor e a nona.

Em alguns sites você vai encontrar algo assim: Cadd9. O “add” significa que a nona foi adicionada.

Enfim, como são diversas alterações, procure sempre guiar-se pela regra, já mencionada, da parte que dá o nome dos acordes de violão primeiro. Esta é a parte mais importante. Porque eventualmente, caso você não saiba montar o acorde alterado, pelo menos poderá fazer o acorde sem a alteração. Em alguns casos o acorde sem alteração pode substituir o acorde alterado. Mas não tome isso como “regra”. Ou seja, não vá sair por aí trocando todos os acordes alterados pelos naturais. procure aprender as alterações mais usadas, no início. Depois, pouco a pouco, vá aprendendo as demais.

Na maioria das músicas mais populares você vai encontrar acordes naturais e alterações mais simples, como sétima e nona. Portanto, já sabendo como se lê o nome dos acordes… você já estará com mais de meio caminho andado.

 

 

 

Share Button

Leave a Comment: