Acordes de violão
Compartilhe!

Acordes de violão fáceis

ACORDE A

É possível tocar muitas músicas com acordes de violão fáceis? Sim, é perfeitamente possível. Na verdade, a maioria das músicas mais populares são tocadas com acordes simples.

Via de regra, os tais “acordes fáceis” são acordes naturais. E normalmente feitos sem pestana, nas três ou quatro primeiras casas do violão.

Veja os exemplos abaixo:

Acorde E - mi maior 06 D Acorde A - lá maior, diagrama 12 Em Acorde D 09 C 05 Am 01 G

Aí estão alguns dos acordes fáceis mais utilizados. Evidentemente, estes acordes não são tão fáceis para um principiante. Tudo depende – sempre – de aprendizado e treino.

Mas como usar acordes mais simples, fáceis de serem tocados para tocar muitas músicas?

Uma boa pergunta… vamos então primeiro tentar entender como se apresentam os acordes numa música…

Tonalidade

Os acordes presentes numa determinada música – acredito que você já saiba disso – não são aleatórios. Ou seja, eles estão lá porque naquela tonalidade se deve usar aqueles acordes.

Por exemplo… Na tonalidade C (Dó maior), podem aparecer os seguintes acordes: C, Dm, Em, F, G, Am, Bº. Veja algumas sequências comuns a esta tonalidade:

C, F, G

C, Am, F, G

C, F, Dm, G

C, G, Em, G

Ebook Diagramas de acordes para violão e guitarra

Diagramas de acordes ebookQuer tocar muitas músicas com acordes fáceis? Este eBook é o caminho!

Compre seu exemplar hoje mesmo, clicando no link abaixo:

Ebook Diagramas de acordes

Qual é a ordem dos acordes na música?

Independentemente dos acordes serem fáceis ou não, eles aparecem na música numa determinada ordem. Porém esta ordem – infelizmente – não é igual para qualquer música.

E por quê? Porque os acordes são determinados pela melodia da música. Melodias diferentes exigem acordes diferentes. Assim, numa música na tonalidade C, por exemplo, você pode ter o acorde G aparecendo depois do acorde C. Em outra música ou melodia, você pode ter o acorde Am depois de C. E assim por diante.

Muitos pensam que seria ótimo se a ordem dos acordes fosse sempre a mesma. É claro assim seria mais fácil decorar. Mas a verdade é que a música perderia seu encanto.

Portanto, a solução é estudar e treinar muito, para apurar o ouvido. Com o tempo, o ouvido vai acostumando e associando sequências de acordes com melodias.

Tornando acordes “difíceis” em acordes fáceis

Quando eu comecei a aprender violão, confesso que achava a maioria dos acordes difíceis. A ponto de quase desistir. Ainda bem que não fiz isso. Pois em algum tempo, aquilo que parecia tão difícil ficou fácil. E como é isso? Tem algum segredo?

Não… nada de segredo por aqui. Acordes difíceis se tornam acordes fáceis com treino. Só isso e nada mais.

Veja só… Qualquer coisa que você vá aprender a fazer com as mãos, exige um certo treinamento. Eu me lembro de ficar embasbacado vendo minha mãe fazer tricô. Não sei se você já viu. São duas “agulhas” enormes, com as quais a pessoa vai trabalhando um fio de lã, para tecer roupas.

Eu ficava olhando aquelas agulhas gigantes mexendo de cá pra lá e de lá pra cá. Em alguns minutos era possível ver a transformação do dio de lá em um pedaço de roupa. As agulhas se moviam numa velocidade – para mim – espantosa.

Como eu era criança, nem me ocorria como minha mãe sabia fazer aquilo. Talvez eu achasse que era simplesmente algo “que ela fazia” e pronto.

Mas não… É claro que ela precisou aprender e começou devagar. E foi fazendo devagar. A velocidade veio com o tempo. Com o treino.

E é assim também com o violão. Quando eu comecei, demorava “uma semana” para trocar de um acorde para outro. Parece uma tortura, não é mesmo? Mas é assim mesmo.

Acontece que as mãos não estão acostumadas com aqueles movimentos. Suas mão precisam de treino, para fazer os acordes e para trocar de um acorde para outro.

Aproveitando melhor os acordes fáceis

Entenda bem… não estou dizendo que você tenha que deixar de aprender novos acordes, só porque são difíceis. Mas há maneiras de usar posições mais simples para fazer novos acordes. Com o capotraste.

Consulte o artigo Como usar um capotraste para saber mais detalhes.

Por exemplo… com o capotraste colocado na primeira casa, um acorde A vira A#. Um acorde D vira D#. E assim por diante, aumentando de meio em meio tom para cada casa. Desta maneira, você faz as mesmas posições já conhecidas dos acordes fáceis e obtém acordes diferentes.

Muitos acham que o capotraste pode substituir a pestana, considerada difícil de fazer. Isso não funciona bem assim, porque em determinado momento em alguma música, apesar do uso do capotraste, pode aparecer uma pestana.

Além do mais, quando é necessário tocar diversas músicas, é preciso mudar o capotraste de casa e até mesmo retirá-lo.

Conclui-se então que o uso do capotraste é possível, mas limitado.

Acordes de violão fáceis por tonalidade

Nas tonalidades D, G e A encontramos os acordes mais fáceis, aqueles que a maioria dos alunos iniciantes começam a aprender.

Tonalidade D = D, G, A, Em

Tonalidade G = G, C, D, Am, Em

Tonalidade A = A, E, D,

É comum ver pessoas tocarem muitas músicas nestas tonalidades pela facilidade dos acordes.

Mas não se deixe levar pela “onda” dos acordes fáceis. Use e abuse, mas sempre treinando aqueles que você considera difíceis. Para a pestana, por exemplo, procure treinar sequências que tenham 3 acordes fáceis e mais um com pestana. Na hora de fazer o acorde com pestana, simplesmente faça do jeito que sair e continue tocando. Com um pouco de treino, a cada vez sua mão se acostuma melhor com a posição e o acorde acaba saindo melhor.

Um exemplo: D, Bm(pestana), G, A

Outro: A, F#m(pestana), E

Enfim… Você pode e deve usar os acordes de violão fáceis. Mas sempre treinando os demais, para que em pouco tempo a maioria dos acordes virem seus “amigos”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share Button

Leave a Comment:

Add Your Reply