Acordes de violão
Shares

Formação de acordes aplicada ao violão

Acordes de violão - Acorde C (dó maior)

A formação de acordes é sempre uma dúvida entre estudantes de instrumentos musicais. E com violão não é diferente. Tire agora mesmo as suas dúvidas, neste quesito, que na verdade é bem simples.

Antes de entrar no assunto propriamente dito, é bom você saber para que serve conhecer a formação de acordes. Como você vai usar esta informação.

Uma música é composta de diversos elementos. Um destes elementos é a melodia, que é, por assim dizer, a alma da música. Não existe música se não houver melodia. Para compreender com simplicidade o que é melodia, basta ouvir a sua música preferida. As notas que o cantor está emitindo constituem a melodia. Numa música instrumental a voz é substituída por algum instrumento.

Muito bem… a melodia utiliza notas musicais provenientes de uma escala.

Quando se executa um acorde para acompanhar a melodia, este acorde é formado por três ou mais notas, provenientes da mesma escala.

Aí é que entra a utilidade de se conhecer a formação de acordes. O conjunto de acordes que acompanha a melodia é chamado de harmonia e, a não ser por acordes com alteração, os acordes da harmonia utilizam as mesmas notas da escala utilizada pela melodia.

Parece complicado? Mas não é. Veja um exemplo abaixo:

Suponhamos que uma música utilize a escala de C(dó maior). E que seja acompanhada pelos acordes C, Am, F e G. Veja abaixo como as notas dos acordes foram “retiradas” da escala de C:

Escala de C

C, D, E, F, G, A, B

 

 

 

Formação dos acordes

Acorde C é formado pelas notas: C, E, G

Acorde Am é formado pelas notas: A, C, E

Acorde F é formado pelas notas: F, A, C

Acorde G é formado pelas notas: G, B, D

É fácil perceber assim, porque determinados acordes aparecem numa música e outros não.

Formação de acordes e sua aplicação ao braço do violão

A formação de acordes evidentemente se aplica à música em geral. Ou seja, a regra é igual para qualquer instrumento ou voz. Talvez você esteja sorrindo aí e pensando… “óóóóbvio…”. Mas para um iniciante é sempre bom mencionar, porque pode-se deixar a impressão de que estas são regras que se aplica somente ao violão.

O que precisamos ver depois é como a regra geral fica no braço do violão com a disposição das notas e escalas. Muito bem, então aqui vai a regra geral:

Acordes naturais são formados por 3 notas. O primeiro, terceiro e quinto graus da escala.

Hora de você perguntar… sim… que escala? A escala que dá nome ao acorde. Cada acorde vem da escala que lhe dá nome. Por exemplo:

O acorde Dm vem da escala de… Dm (ré menor)
O acorde D vem da escala de ….. D (ré maior)

E assim por diante. Vamos verificar…

Escala de Dm = D, E, F, G, A, A#, C

  • Primeiro grau = D
  • Terceiro grau =  F
  • Quinto grau =    A
  • 09 Dm

Veja no diagrama do acorde como foram obtidas estas notas.

Escala de D = D, E, F#, G, A, B#, C#

  • Primeiro grau = D
  • Terceiro grau =  F#
  • Quinto grau =    A

Veja as notas no diagrama

Você reparou alguma coisa aí? Quantas notas mudaram do acorde menor para o maior? Apenas uma. Somente o terceiro grau foi alterado. E aí está um excelente “truque”:

Do acorde maior para o menor, altere apenas o terceiro grau meio tom abaixo. No caso acima, no Acorde D usa-se F# e em Dm usa-se F.

Relembrando… Os acordes naturais são formados pelos graus 1, 3 e 5 de cada escala.

E os acordes com alterações, como é a sua formação?

Guarde isso em sua cabeça… todas as notas de qualquer acorde vêm de escalas. Aqueles números que você vê depois do nome do acorde, referem-se à posição da nota numa determinada escala. Porém, há um fator que complica um pouco a coisa aí:

Não é necessariamente a escala que dá nome ao acorde.

Explicando… Por exemplo, um acorde C7 (Dó maior com sétima). O número “7” aí se refere à sétima nota, mas não da escala de C. E sim da escala de Cm. Se houver um sinal “+” após o número, então é  “sétima maior”, aí sim a nota vem da escala maior.

Sugestão para estudo de formação de acordes

Existem tabelas que mostram como são formados os acordes, e podem até ser úteis em alguns casos. Mas consultar uma tabela não é estudar. Eu tenho uma sugestão melhor.

Estude os diagramas dos acordes. Pegue acordes alterados e veja que notas são usadas. Então compare estas notas à escala de onde deveriam vir. Pode ser meio trabalhoso, mas aí, ao invés de tentar decorar (que também embaralha a cabeça), você vai aprender. Veja um caso:

Acorde A9

07 A9

Veja o acorde A9 ao lado. As notas de um acorde A são: A, C#, E (Graus 1,3,5). Repare no diagrama que foi acrescentada a nota B. A escala de A é: A, B, C#, D, E, F#, G#

Em que posição está a nota B? Na posição 2, certo? Porque 9 então? Simples… Vá contando as notas da escala. Quando chegar à sétima nota, recomece da primeira, continuando a contagem. A primeira nota então se torna a oitava. E a segunda nota se torna a nona. então… A9 (Se diz: Lá maior com nona)

Em meu eBook diagramas de acordes eu abordo com mais profundidade o assunto. O fato é que para comprender todas as alterações possíveis de acordes, é preciso estudar harmonia num nível mais elevado. Mas para quem está começando, ou está num nível intermediário, compreender o básico e estudar os acordes naturais, e os acordes alterados mais comuns (7, 7+, 9, 11) já é suficiente para tocar muitas músicas com uma harmonia satisfatória. Também não adianta nada saber tudo quanto é alteração sem usá-las…

Enfim… aí está o básico sobre formação de acordes. É importante aplicar o conhecimento ao braço do violão, estudando as escalas e posições das notas dos acordes.

Share Button

Leave a Comment: