Acordes de violão
Shares

Acordes, violão e voz

Acordes de violãoÉ muito comum ouvir a expressão “violão e voz”, referindo-se àqueles que tocam – geralmente em bares noturnos – desta maneira. Uma pessoa, um violão e mais nada.

É preciso coragem para fazer isto. Ou ser metido a besta (eu, por exemplo…). Explicando: a coisa é complicada, não é como você tocar na rodinha de amigos. Você está lá, sozinho, um bando de gente no boteco, muitos pedindo músicas das quais você nem ouviu falar, fora outros que ficam só te observando, esperando a hora em que você vai pisar na bola. Ou no violão, como queira…

Mas o assunto não é bem este. Quero falar aqui da relação entre acordes, violão e voz. Deve existir um equilibrio entre estes três elementos. Leve em conta que quando falo de violão aqui, refiro-me ao som do violão, é claro.

Acordes

Os acordes devem ser explorados, tanto pela mão esquerda como pela mão direita. De que maneira?

  •  Mão esquerda – Variar as posições, por exemplo: com pestana em determinado trecho da canção, sem pestana em outro. 

  • Mão direita – Batida numa parte da música, dedilhado na outra. Ou mesmo os dois misturados em algum trecho. Abafamento de cordas. 

O som do violão 

Deve-se controlar o som do violão, com a mão direita.  Conjugando-se com batidas, dedilhados e arpejos, podemos controlar a potência do som com a mão direita. Mais forte, mais suave, marcante, abafado.

A voz

Lembre-se: havendo letra (se a música não for instrumental), a voz fica sempre em evidência. O instrumento deve envolver a voz. A voz é central, frontal. O instrumento é lateral, corre “por fora”.

Não há nada pior do que ouvir alguém tocando um violão sempre com a mesma intensidade, não importando em que trecho da música se encontra.

Você pode reparar isto facilmente ouvindo qualquer música gravada. O cantor abriu a boca, os instrumentos ficam em segundo plano. O cantor calou-se, os instrumentos ocupam o espaço vazio. Isto se chama dinâmica. A música não é uma coisa uniforme, retilínea. O que dá vida à música é a dinâmica, ou seja, os altos e baixos.

Repare por exemplo em diversas músicas o que acontece na hora do refrão. Antes deste, a voz do cantor estava suave. Foi crescendo ao chegar perto do refrão e chegou à sua amplitude máxima na hora do refrão. A mesma coisa acontece com o instrumento. Haverá modificações na forma de tocar, nos acordes, na altura do som também.

Portanto, policie-se quanto a isso. Aprenda a dominar o instrumento, esteja você mesmo cantando ou somente acompanhando outra pessoa.

Procure sentir em que parte da música você deve fazer o violão aparecer mais ou menos.

  • Preencha com um som mais forte os silêncios do cantor.
  • Faça um pequeno arpejo no final de uma frase em que o cantor abaixa sua voz.
  • Dê uma parada rápida no final de uma frase contundente.
  • Coloque uma batida diferente no refrão, mais enfática, presente.

Enfim, são muitas as opções. E você, por si mesmo poderá descobrir outras. mas nada de tocar uma música com a mesma batidinha do começo ao fim. Mesmo um principiante pode fazer algumas das coisas mencionadas acima.

Mais uma vez devo repetir: também não exija demais de si mesmo. Treine um pouquinho hoje, um pouquinho amanhã e verá que dentro de pouco tempo, já terá assimilado isto e muito mais!

Artigos relacionados

Acordes em posições diferentes



Share Button

Comments are closed