Shares

Garota tocando violão



ACORDES DE VIOLÃO
Aprenda muito mais sobre acordes agora mesmo...

________


Apostila Segredos do braço do violão  grátis! Entenda seu violão e toque melhor...

Peça a sua e faça o download agora mesmo!

Reserve agora!



Como cifrar uma música

ouvindo.png

Cifrar uma música pode ser uma atividade frustrante. Calma lá, não quero te colocar pra baixo não.

Acontece que cada qual tem sua capacidade e seu grau de avanço no estudo de violão. Porém, para aqueles que já conhecem os acordes básicos, a formação dos mesmos e também os acordes relativos, é possível aprender como cifrar uma música.

É assim: coloque aquelas letrinhas (A, D…) em cima da letra da música e pronto. Não, não é assim, é claro.

Já vi instrumentistas simplesmente ouvirem a música (desconhecida para eles) e – em poucos minutos – tocarem todos os acordes em perfeita sequencia, simplesmente acompanhando a música. Fácil, não? Não para mim, posso garantir. E talvez não para você também.

Se você tem dificuldade em “sentir” os acordes, pode aprender como cifrar uma música de outra maneira.

A primeira coisa é familiarizar-se com a música. Ouça a música várias vezes. Preste atenção nas mudanças de acorde.

Antes de sair tentando ver qual o primeiro acorde, afine o violão. Em seguida, tente descobrir qual é o primeiro acorde da música, aquele que dá nome à tonalidade.

Geralmente, a música começa com este acorde, mas tome cuidado. Nem sempre é assim. Por vezes o acorde vem na introdução e no começo da música já aparece outro.

Outra dica para descobrir a tonalidade (o acorde principal) ao tirar uma música de ouvido, é – em alguns casos – o acorde final da música. Somente – é claro – naquelas canções que terminam assim. No caso de uma música que vai abaixando o volume aos poucos, isto não funciona.

A partir daqui, você tem duas opções:

1) Você descobriu a tonalidade da música – basta então ir cantando a música e colocando os acordes que seriam lógicos de se colocar ali.

Acorde 1 – o que dá a tonalidade o I da escala

Acorde 2 – o IV da escala

Acorde 3 – o V da escala

Os acordes relativos dos três acordes acima.

Tomemos por exemplo a música New York, de Christian e Ralph.

Introdução G (I) Am (rel. de IV) C (IV) G

Am C G

Esta é a história de um novo herói

…. (a estrofe segue nesta sequencia)

C G

Tinha um sonho, ir pra Nova Iorque

….

Am

Saudade vai, vai, vai

C

Saudade vem, vem, vem

G

Te buscar

Como você pode ver, a tonalidade da música é G (I), mas ela começa com Am (relativo de C). São somente três acordes. Nesta música acontece o que já mencionei. Ela começa na relativa de C (IV). E nem usa o acorde V, que seria D.

Cifrar uma música destas, não é difícil. Mesmo que você descobrisse primeiro o acorde Am, a partir do momento em que descobrisse os outros, saberia que a música não está nesta tonalidade. Se a tonalidade fosse Am, o acorde IV deveria ser D e o V seria E.

 

2) Você não descobriu o acorde I, nem tampouco os outros.

A minha saída num caso destes, é aprender a cantar bem a música, praticando junto com a gravação original.

Depois, colocar um acorde em que a voz se encaixe (mesmo que não seja a tonalidade original) e tentar cantar a música. Você vai sentir a hora de mudar o acorde. Parece que fica faltando alguma coisa (e fica mesmo… o próximo acorde).

Basta então seguir a regra: I, IV, V e seus relativos, para achar pelo menos os acordes principais. Lembre-se que não há um padrão para a ordem dos acordes.

Uma vez que você consiga tocar todas as partes da música, fica fácil comparar com a gravação. Você perceberá se a tonalidade está acima ou abaixo. Basta então transportar, o que já é mais simples. Ou não, se você estiver satisfeito com a tonalidade em que cifrou a música.

Algumas coisas podem nos atrapalhar um pouco ao aprender como cifrar uma música. Por exemplo: às vezes parece que vem um novo acorde. Você tenta todos os possíveis e imagináveis e nada bate. Pode ser que não venha nada. Fique no acorde em que estava.

Outras vezes colocamos um acorde e parece que é aquele, está perto, mas falta alguma coisa. Geralmente é o acorde relativo.

Pequenas sequencias podem aparecer também. Três ou quattro acordes num só compasso podem dificultar um pouco a guerra. Porém há umas sequencias muito utilizadas, fáceis de se deduzir, se você sabe o que vem antes e depois. Por exemplo:

Antes – G

Depois – C

Mas havia algo no meio, uma “caída”. Provavelmente é: G D/F# Em C.

Outro pequeno truque, é colocar repetidamente o mesmo pedaço da música e tentar achar o baixo, tocando as notas na sexta ou quinta cordas.

Não há uma só resposta para a pergunta “como cifrar uma música”. Mas uma coisa é certa: é preciso ter paciência e praticar. Alguns têm mais facilidade, outros não. Se você costuma tocar as músicas lendo a letra e as cifras, provavelmente vai ter dificuldade, por falta de treinar o ouvido. Mas isto é outro assunto.

Artigos relacionados:

Violão – acordes relativos

Acordes de violão

 

Comments are closed